Posts

Você sabe o que fazer com o seu lixo eletrônico?

A Trans Cidade está sempre em busca de maneiras de melhorar o planeta para que as crianças de hoje tenham uma melhor qualidade de vida no futuro, com um meio ambiente saudável e uma sociedade colaborativa. Desde de abril, estamos com uma campanha de recolhimento de pilhas e bateria para estimular o descarte correto destes materiais. 

Aliás, você sabe o que é lixo eletrônico e qual a melhor maneira de se desfazer dos equipamentos que caem em desuso?

Todo e qualquer material eletrônico que é dispensado, como telefones, computadores, impressoras, drones, celulares, tablets, refrigeradores, máquinas de lavar, fogões, microondas e etc, são considerados e-lixos. Pilhas, baterias (acumuladores de energia) e demais produtos magnetizados também estão dentro desta classificação.

Estes aparelhos geralmente contém uma grande quantidade de plástico, metais e vidro, materiais que têm um longo processo de decomposição, além das substâncias químicas que podem provocar contaminação no solo e na água. São prejudiciais para o meio ambiente e são capazes de provocar doenças graves em pessoas que coletam produtos em lixões, terrenos baldios ou nas ruas.

O Brasil é considerado o líder de produção de lixo eletrônico na América Latina. Segundo uma pesquisa feita pela ONU em 2017, o país produz anualmente 1,5 mil toneladas. Somos o sétimo maior produtor de e-lixo do mundo, ficando atrás apenas de China, Estados Unidos, Japão, Índia, Alemanha e Reino Unido, respectivamente.

Existem várias maneiras de se desfazer desses produtos que não lhe servem mais. Uma delas é, caso o equipamento ainda funcione, doar para entidades sociais que desenvolvem projetos de inclusão digital ou mesmo que estejam precisando para o uso diário. Outra opção é entrar em contato com as empresas fabricantes e distribuidoras do produto, elas têm o dever de tomar medidas para minimizar o volume desses tipos de resíduos.

Existem também algumas empresas e cooperativas que atuam na área de reciclagem como eCycle, Tech Trash e Coleta Industrial.

Que tal abraçarmos essa causa juntos?
De pouco em pouco vamos ajudar a fazer a diferença.

 

Você conhece o modelo de rotas expressas para transporte escolar?

Utilizado em escolas dos Estados Unidos e Europa, este modelo agiliza o percurso dos estudantes e melhora o trânsito das cidades. De acordo com a logística de cada itinerário, a rota é traçada com base nas principais vias dos bairros evitando o entra-e-sai em ruas secundárias. Ao longo do trajeto são estipulados alguns pontos para embarque e desembarque dos alunos, estimulando o jovem a uma caminhada de poucos minutos ao encontro dos companheiros de viagem.

Além de incentivar o senso de coletividade dos alunos, reduz o tempo no trânsito e das paradas do ônibus. Essa prática possibilita transportar um número maior de passageiros com tarifas menores.

Desde o final da década de 90 utilizamos esse modelo transportando com a mesma dedicação alunos da Rocinha para a Escola Municipal Pedro Ernesto, na Lagoa. Por conta da geografia da região o transporte percorre a via principal, com paradas em pontos predeterminados. Pensando em soluções práticas e conscientes para a nossa sociedade, buscamos implementar rotas expressas em todas as escolas que atendemos. Desta forma estimulamos o conceito que, além de sustentável para a cidade, desperta a independência e senso de responsabilidade da criança. No Rio de Janeiro já existem grandes instituições que utilizam esse recurso.

O trajeto até a escola pode ser divertido, seguro e educativo.

Quando os pais optam pelo transporte escolar para o percurso diário dos seus filhos, temos consciência de que esse voto de confiança vem associado a muita responsabilidade e a garantia de que a criança fará parte de uma comunidade segura e acolhedora.

Para o aluno o transporte é sinônimo de diversão e independência, o que não deixa de ser uma verdade. Porém, para que tudo ocorra bem, nós garantimos que a nossa equipe esteja alinhada e preparada para proporcionar uma viagem segura, cheia de boas histórias e descobertas.

Para cada ônibus são selecionados dois profissionais: um motorista e uma monitora. Cada um depende do bom trabalho do outro para que o transporte seja feito com calma e tranquilidade. As monitoras são
a ponte responsável entre os pais e escola, asseguram que a rotina da criança esteja dentro do combinado e garantem o cumprimento de regras básicas como não ficar em pé, não colocar mãos e cabeça para fora do ônibus, não mexer com pessoas na rua, viajar com cinto de segurança ou não jogar objetos para fora do veículo. Ela também atua como uma amiga e parceira de todas as crianças, cuidando para que todos se sintam acolhidos e confiantes no embarque, durante o trajeto e no desembarque, sempre atenta e disposta a ajudar o grupo.

Já os motoristas, além de uma direção responsável e preventiva, exercem a função de apoio para a monitoras tanto em momentos de algazarras excessivas no ônibus, como no cuidado e atenção com cada criança e seus pertences.

Nós da Trans Cidade acreditamos no velho e bom ditado de que “a união faz a força”, onde cada um cumpre a sua função. Regras básicas como ir para o lugar marcado cinco minutinhos antes do combinado e avisar caso haja algum imprevisto, é sempre esperado dos responsáveis para que tudo corra bem. Para nós é um privilégio fazer parte da rotina dos pequenos!

Somos conscientes da importância do nosso trabalho!

O transporte escolar é uma atividade exigente. Para oferecer um serviço de qualidade, realizamos a constante manutenção dos veículos  e trabalhamos com uma equipe consciente da responsabilidade e importância do transporte de crianças.

A Trans Cidade é uma empresa familiar e, desde o começo de suas atividades, é comprometida com a formação de profissionais qualificados. Valorizamos as relações humanas, o espírito de equipe e o companheirismo. Nossos motoristas e monitoras são selecionados e treinados para uma condução segura e responsável.

Para atuar como profissional do transporte escolar e obter o cartão de identificação de auxiliares de transporte (CIAT), exigido pela prefeitura, os motoristas e monitoras precisam apresentar certidões de bons antecedentes, atestado médico de não portador de doenças infectocontagiosas e certificado de conclusão do curso de capacitação para motoristas de transporte coletivo exigido pelo CONTRAN.

Nossa equipe é orientada permanentemente e possui tarefas muito bem definidas. As monitoras não auxiliam somente no embarque e desembarque, elas são verdadeiras agentes de segurança para o motorista e as crianças. Elas fazem chamadas, conferem os cintos, operam o nosso aplicativo e cuidam para manter a disciplina. Os motoristas são atentos, cordiais e trabalham com classe e elegância.

Reuniões periódicas reforçam a noção da influência do nosso comportamento na formação dos jovens. Todas essas exigências e requisitos são primordiais para a qualidade do nosso trabalho e a tranquilidade dos pais. Por conta deles, a Trans Cidade já tem três décadas de serviço realizado com a confiança dos clientes.

Pratique a solidariedade em sua rotina

Com a correria do dia a dia, fica muito fácil se esquecer de olhar para o lado e ver que existem pessoas passando dificuldades. Com tanta desigualdade, praticar atos de solidariedade se tornam cada vez mais importantes. O dicionário define a palavra “solidariedade” como: “Relação de fraternidades de apoio recíproco que une as pessoas, conscientes de pertencerem à mesma sociedade e de terem esses interesses comuns”.

Em princípio, pode soar como algo trabalhoso para aplicar na rotina, porém, com pequenas ações, nós conseguimos dar um novo rumo a vida de outras pessoas. É preciso abrir os olhos para ver que, ao nosso lado, existem pessoas em situações de mal-estar. Estes grupos têm a mesma dignidade que cada um de nós, independentemente de sua classe social, raça ou etnia.

No início do inverno, lançamos a nossa campanha do agasalho, que recolheu nas escolas doações de casacos, cobertores e mantas. Todo esse material foi doado ao Instituto da Criança, que redistribuiu as doações, vindas de diversas fontes, para 30 instituições do Rio de Janeiro e São Paulo. Uma simples atitude, como levar uma peça de roupa ao posto de coleta, não demanda muito tempo do nosso dia e tem um impacto significativo na vida de quem recebe.

No fim das contas, todos ficam felizes! Você se sente bem ao notar que está fazendo a diferença e colaborando com o bem-estar do próximo, e quem recebe se sente acolhido. Se ações solidárias virassem rotina na vida de todos, com certeza, teríamos uma sociedade um pouco mais justa.

O trânsito também é um ótimo exemplo de onde podemos aplicar atos solidários. Pequenas gentilezas, como oferecer passagem para quem está mais rápido, não fechar cruzamentos, permitir que pedestres possam atravessar ou evitar buzinar sem necessidade, tornam o convívio entre todos mais leve e mais pacífico.

Praticar a empatia é uma ótima técnica para criar motivação. Coloque-se no lugar do outro, imagine se você estivesse nesta situação. Pense que se você sente frio no inverno, quem não tem o que vestir está sentindo muito mais. Se ficar sem água atrapalha as atividades do seu dia, imagina quem vive sem ela todos os dias. Os exemplos são infinitos! Pense nestas questões e pratique a solidariedade.